Bruno Senna diz que F1 sofrerá com a chuva na Malásia

Os pilotos da Fórmula 1 enfrentarão enormes dificuldades na primeira experiência sem o controle de tração numa pista molhada como a que deverá marcar todos os dias do Grande Prêmio da Malásia. A expectativa é de Bruno Senna, o brasileiro que correrá na Fórmula GP2 Ásia, incluída na programação do fim de semana no circuito de Sepang. De acordo com a previsão da meteorologia, os horários de atividade de pista da Fórmula 1 são os com maiores probabilidades de precipitações fortes. {mosimage}

“Não será fácil conduzir um Fórmula 1 debaixo de chuva sem o controle de tração. A Bridgestone deve ter levado dois tipos de pneus de pista molhada, um para condições extremas e um intermediário. São muito bons, mas os pilotos ainda estão se acostumando com a falta de controle de tração no seco. No molhado, então, a coisa será muito mais complicada”, comentou Bruno, que nem pôde deixar o hotel na noite desta quarta-feira por causa do temporal que castigava Kuala Lumpur, a capital do país.

Os serviços de meteorologia indicam condições pouco mais favoráveis durante os períodos em que a Fórmula GP2 Ásia estiver rodando em Sepang. Mas os pilotos da categoria, notadamente os estreantes com pouca experiência em carros com 500 cavalos de potência, também correrão riscos se a previsão de chuva se confirmar. “A GP2 tem mais torque que a Fórmula 1. O risco de uma rodada numa curva de quarta marcha é enorme, se o carro aquaplanar”, alertou.

Bruno tem conhecimento limitado de Sepang. No mês passado, aproveitou uma escala na Malásia para percorrer o traçado com uma Mercedes CLS 55. Foi o bastante para se apaixonar. “O circuito é sensacional”, afirmou. Como andou praticamente todo um dia, acha que o treino livre de apenas 30 minutos na sexta-feira, antecedendo à sessão classificatória, será suficiente para “pegar a mão” da pista. E não manifesta preferência pelo seco ou molhado. “Para mim, tanto faz. A única vantagem da chuva é que a corrida fica mais lenta e, por isso, menos cansativa.”

Com 17 pontos depois de quatro etapas – as rodadas duplas dos Emirados Árabes Unidos e Bahrein -, Bruno ocupa a vice-liderança da Fórmula GP2 Ásia, 10 atrás do francês Romain Grosjean. Uma diferença respeitável para ser descontada em apenas duas corridas que distribuem o total de 20 pontos, mas não o bastante para reduzir a sua confiança. “Está na hora de ganhar a primeira corrida do ano”, avisou.

Imprensa Bruno Senna
Márcio Fonseca

Deixe uma resposta

Pin It on Pinterest