Em busca do título Varela e Gugelmin largam na frente de rivais

Ao contrário do que acontece normalmente nas etapas da Copa FIA de Rallye Cross Country, os organizadores do Rally dos Faraós – que começa amanhã, no Cairo -, optaram por definir a ordem de largada da primeira etapa por sorteio, e não pelo tradicional método de disputa de prólogo contra-relógio. Para Reinaldo Varela e Gustavo Gugelmin, vice-líderes do certame na categoria T2, o resultado dessa decisão pode ser considerado positivo já que a dupla árabe Yhaya Al Helei e Khalid Al-Kendi vai largar três posições atrás dos brasileiros do Divino Fogão Rally Team.

“Ao sair na frente dos árabes poderemos ditar o ritmo do rally e explorar mais opções de estratégia, algo muito importante num rally tão longo quanto este”, explicou Varela. O piloto já fez o “shake-down” do novo Mitsubishi Pajero que vai usar no Egito; trata-se de uma rápida avaliação para checar o funcionamento dos sistemas vitais do veículo. A troca do modelo de duas por quatro portas foi consequência de problemas de logística em função do calendário da temporada.

“Como o transporte dos carros para o Egito é bastante demorado e complicado, a nossa equipe optou por preparar um novo carro”, comentou Gustavo Gugelmin. “Além do trabalho planejado para evitar contratempos e riscos, a opção por um modelo com distância entre eixos mais longa pode ter outras vantagens. Tal característica proporciona melhor rendimento no deserto e também permite levar mais peças de reposição, já que nesta prova não é permitida a utilização de equipes de apoio no meio das especiais.”

Cidade conhecida pelo transito caótico, as ruas do Cairo são disputadas por pedestres, cabritos e camelos que se misturam com automóveis, ônibus e caminhões. Como a largada do primeiro deslocamento está prevista para as 7 horas de amanhã, Varela e Gugelmin optaram por despertar por volta das 5h30, para permitir deixar o hotel rumo antes das 6 horas. A primeira etapa do Rally dos Faraós será disputada num percurso de 339 KM de provas especiais mais dois deslocamentos de 120 km.

“Embora o terceiro e o quinto dias, entre Tibniya e Abu Mingar, sejam os mais difíceis da competição, amanhã também teremos que prestar muita atenção nas dunas entre os km 179 e 235”, comentou Reinaldo Varela, que assim como seu navegador, espera terminar o rally à frente dos líderes do campeonato. O catarinense lembrou que “como a pontuação aqui no Egito é dobrada, podemos sair daqui como líderes do certame ou dar adeus ao título…”

O Divino Fogão Rally Team é patrocinado pela Mitsubishi e Blindarte (blindagem de veículos com qualidade, responsabilidade e arte) e tem apoio da Itamotors (revenda Mitsubishi em Alphaville São Paulo) e Temp Clean (soluções para higienização profissional).

Deixe uma resposta

Pin It on Pinterest